Clicky

Buscar
X

Blog da Usa

Ser Mulher

O que é o empoderamento feminino e porque ele é importante?

Por Usaflex 06/07/2021

Nos últimos anos, pautas referentes à igualdade de gênero e ao direito das mulheres à liberdade completa e irrestrita tornaram-se tema de discussões ao redor do mundo. O empoderamento feminino é um bom exemplo desse fenômeno. Leia mais sobre este movimento!

Apesar de estar sendo comentado frequentemente nas mídias – tradicionais e digitais -, o empoderamento não é totalmente compreendido por grande parte do público. Mais do que uma expressão forte e bonita, o empoderamento feminino é um movimento que requer ação e, para agir, é preciso conhecer. 

Então, este post será dedicado a explicar a você, leitor e leitora, o que é o empoderamento feminino, seu impacto na sociedade, como este tema está presente na moda e o que todos podem fazer para empoderar mais mulheres.

O que é empoderamento feminino?

O verbo “empoderar”, segundo o dicionário Michaelis, significa investir (se) de poder, a fim de promover ações que possam provocar mudanças positivas no grupo social. Ao consultar a palavra “empoderamento”, o dicionário vai ainda mais além e nos dá uma definição sociológica. 

Podemos dizer, então, que o empoderamento feminino é um esforço coletivo para promover a independência das mulheres, dando-lhes mais poder político, social e econômico. Assim, diminuiremos a desigualdade e chegaremos a uma igualdade de gênero. Vale lembrar que o empoderamento feminino existe porque houve – e ainda há – uma diferença muito grande entre as oportunidades dadas aos homens e às mulheres ao longo da história. 

8 de março, dia das mulheres, dia de luta das mulheres trabalhadoras. Registro da marcha de Curitiba em 2018.

Mas como empoderar as mulheres? Bem, uma forma é dar total acesso à educação, saúde e segurança, promover e apoiar políticas públicas que diminuam a desigualdade, dar às mulheres mais oportunidades de se tornarem independentes financeiramente, entre outras coisas. No dia a dia também podemos dar poder às guerreiras a nossa volta reconhecendo o trabalho e o valor de cada uma.  

Por que o empoderamento feminino é importante?

Ainda que tenhamos evoluído nos últimos anos, o cenário atual ainda está longe de ser o ideal. De acordo com os dados mais recentes do IBGE, as mulheres ganham 77,7% dos salários dos homens. Isso significa que, se um homem ganha 1.000,00 reais por mês, uma mulher ocupando o mesmo cargo ganhará 770, 00 reais. O valor torna-se ainda menor quando comparamos cargos de chefia, pois, neste caso, as mulheres ganham apenas 61,4% do salário dos homens. 

Combatendo desigualdades

As desigualdades não param por aí. Também notamos um abismo na representatividade quando comparamos o número de mulheres e homens na política. Na Câmara de Deputados, por exemplo, apenas 14,8% das cadeiras são ocupadas por representantes femininas. Ou seja, as chances de pautas voltadas para as mulheres serem votadas, ou até mesmo apresentadas, são pequenas, porque não há quem se identifique com elas. 

E nós nem precisamos falar aqui sobre a divisão de tarefas em casa, não é mesmo? Ainda que a mentalidade esteja mudando e os homens estejam se dedicando mais às atividades domésticas, as mulheres ainda são as maiores responsáveis pelo cuidado da casa, dos filhos, dos companheiros e, em alguns casos, dos parentes idosos. Sendo assim, além de trabalhar fora, a maioria das brasileiras ainda têm uma jornada extra no lar. 

Paola Carosella em defesa da educação.

Todas essas questões citadas são causa e/ou efeito de outras tantas, como a violência doméstica e o abuso sexual, em que as principais vítimas são mulheres. Ou mesmo o analfabetismo, uma vez que muitas garotas, principalmente nas cidades mais pobres, são privadas da educação formal, pois alguns pais acreditam que “estudar não é coisa de menina”. 

Diante desse contexto, empoderar mulheres – ou seja, investi-las de poder – é uma forma de tornar a sociedade mais igualitária, justa e, consequentemente, próspera. Por isso é um trabalho coletivo que envolve a comunidade, os governos e as empresas também. 

Empoderamento feminino na moda

Claro que o empoderamento feminino também deve estar presente no mercado da moda, uma vez que este setor é dominado pelas mulheres. Você sabia que, além de serem responsáveis pela maior parte do consumo, o público feminino ainda faz parte de 75% da força de trabalho da indústria da moda globalmente? Pois é! Por esse motivo, medidas nesse setor têm impactos importantes. 

Na Usaflex, nós buscamos incessantemente utilizar a moda para dar mais poder às consumidoras. Todos os nossos produtos são desenvolvidos com o intuito de tornar a vida da mulher mais confortável, saudável, leve e bonita. 

Tênis da coleção de inverno 2021 Usaflex.

Toda brasileira que trabalha fora, é dona de casa e/ou faz a jornada dupla merece um calçado que não machuque os pés, causando incômodos e problemas futuros. As mulheres merecem sapatos que tornem seus caminhos mais leves e seguros. As trabalhadoras merecem se sentirem elegantes e bonitas, pois parte do empoderamento é elevar a autoestima. 

Chega de sofrer para se encaixar nos padrões inalcançáveis e nada sadios impostos pela sociedade. Nós queremos dar a você, consumidora, a liberdade de ser quem você é, usar o que você deseja, se sentir confortável e linda da cabeça aos pés. E não importa se você é casada, solteira, mãe, tia, professora, dona de casa, empresária, jovem, idosa, descolada, conservadora, roqueira, social…há sempre um calçado Usaflex perfeito para o seu estilo!

Tênis com tira vermelha da coleção de inverno 2021 Usaflex.

Porque, não podemos esquecer, a moda é uma forma de expressar a sua identidade para o mundo. Então, não tenha vergonha de se mostrar ao universo na sua melhor versão. Se deseja usar um modelo, mas nunca teve coragem pois acha “muito ousado” ou “muito conservador”, permita-se experimentar ao menos uma vez. Não deixe que a opinião dos outros defina as suas escolhas!

Mulheres empoderadas para inspirar

Naomi Campbell

Naomi é uma das modelos mais famosas dos anos 1990 e 2000. A britânica, além de arrasar nas passarelas, também dedicou-se à atuação e ao mundo dos negócios. Ela se tornou um símbolo de empoderamento não só por sua carreira de sucesso, mas também por lutar contra o racismo. Sua representatividade no mundo fashion abriu espaço para que outras garotas negras brilhassem nesse mercado da moda. 

Mary Shelley

Mary Shelley foi uma grande escritora britânica do século XVII. Ela é famosa pela autoria da obra Frankestein, que até hoje é inspiração para filmes, séries e peças de teatro. Apesar de viver em uma época em que muitas mulheres ainda eram proibidas de estudar e trabalhar, Shelley era de uma família mais moderna e que valorizava a educação feminina. Se não tivesse recebido os incentivos do pai, talvez a autora não tivesse conseguido mostrar ao mundo todo o seu brilhantismo. 

Malala Yousafzai 

A paquistanesa Malala é a pessoa mais jovem a receber o Prêmio Nobel da Paz. A ativista muçulmana ficou conhecida após sofrer um atentado enquanto saia da escola. Ela participou de manifestações em seu país contra as regras que proibiam as mulheres de estudar. Apesar do tiro que levou na cabeça, ela não desistiu de lutar pelo direito de aprender: “podem atirar no meu corpo, mas não podem atirar nos meus sonhos”.

Carolina Maria de Jesus

Carolina é umas das maiores escritoras brasileiras. Nascida em Minas Gerais, no ano de 1917, essa mulher empoderada derrubou as barreiras do preconceito racial e de gênero com a sua poesia. Seu livro mais famoso é o Quarto de Despejo, que foi traduzido para o inglês, em 1962, e vendeu mais de 300 mil cópias. A brasileira também ficou conhecida na Europa, depois que uma TV alemã produziu e exibiu um documentário sobre Carolina de Jesus, em 1975. 

Fique por dentro

Inscreva-se e seja o primeiro a saber sobre
as novidades, promoções e muito mais!

Cadastrado com sucesso!